Espetáculos

Na história do Campinas Street Dance Festival, os idealizadores e as comissões de organização, desde 1999, sempre prezaram por ações de formação de público e principalmente proporcionar um ambiente que apresente os trabalhos artísticos dos brasileiros nas danças afro-diaspóricas conectadas direta e indiretamente a Cultura Hip Hop. O formato do festival é sempre flexível, sem fins lucrativos e, se adequa ao apoios recebidos no respectivo ano.

No ano de 2010 realizamos nossa primeira mostra de espetáculos presencialmente. Desde então sempre lutamos para repetir este estilo de programação e estamos muito felizes neste ano de 2022 por mais esta conquista.

No formato online, você assistirá a exibição de 10 (dez) obras artísticas, seguidas de Cyphers de Conhecimento (mesa redonda/debate) com o diretores e criadores das obras.

Sabemos que este é um pequeno recorte da potência da nossa arte no país, e estamos agradecidos por todas as redes fortalecidas nestas ações!

>>>>>>>>>>>       TODOs Os LINKs -> PLAYLISTs      <<<<<<<<<<<<

                                     (GRATUITO ONLINE)                                       

https://www.youtube.com/watch?v=a81FQrbWSD8&list=PLsLhTsI7S_yxxWA2h9ICIm5_mzQkyteOF

parede
FB_by Patricia Blason.jpg

05 de novembro, sábado 20h     
Obra Artística: MÒDIO
Grupo/Companhia: Cia Gente


Sinopse da obra artística

Espetáculo que inaugura o conceito de "desequilíbrio” adotado como metodologia criativa na companhia. Para isso apresentou quatro experimentos diferentes a fim de construção da linguagem; partindo desde a fisicalidade em si do movimento até chegar ao debate cênico sobre determinações morais que incidem no corpo; possibilidades de ruptura ou não desses imaginários

Sobre a Cia Gente
Rede de criação, protagonismo e fomento a processos individuais/coletivos em artes, dança, performance, cinema, design, gestão etc. A Cia foi fundada em 09 de agosto de 2012 pelo professor e antropólogo Paulo Emílio Azevedo.

Ficha Técnica
Criação e direção: Paulo Emílio Azevedo
Assistência de direção e produção: Paula Lopes
Intérpretes-criadores: Amanda Gouveia, Lucas Zina, João Alves, Pedro Brum, Salasar Jr. e Zulu Gregório
Direção técnica: Filipe Itagiba

 

Classificação

16 anos

Fundo Gradiente
14729591682_2e0c78e643_c.jpg

06 de novembro, domingo 19h      
Obra Artística: Impermanência
Grupo/Companhia: Cia Eclipse


Sinopse da obra artística

A impermanência influencia toda a nossa vida, como também o ambiente terrestre. Tudo está em constante mutação. A impermanência impregna nossa existência e faz parte de nossa condição humana. Podemos observar quantas mudanças ocorrem tanto em nossa vida como na vida de nossos familiares e amigos. Através delas podemos largar nossos apegos e medos, vivenciando o desapego, a renúncia, a aceitação. 

Sobre a Cia Eclipse

A Cia. Eclipse Cultura e Arte criada em 2002 na cidade de Campinas-SP, tem sido premiada nacional e internacionalmente. Hoje realiza pesquisas artísticas e culturais para criação de peças artísticas, espetáculos, performances, intervenções, cursos e livros. Por meio dos diferentes estilos de danças urbanas ligadas a Cultura Hip Hop - nossa especialidade - enriquecidos com técnicas de capoeira, dança-teatro, ginástica acrobática, entre outras linguagens que contribuem com o projeto proposto.

Ficha Técnica

Direção Artística: Profº Ricardo Cardoso (Kico)

Coreografia: Cia Eclipse - composição compartilhada

Elenco - Interpretes Criadores: Willian Santos (Negresco), Wagner da Silva (Wagnão), Klisman Rodrigues, Hiago Ramos, Marina Vieira, Stefany Cristina, Jacksan e Renan Augusto.

Trilha: CD Impermanência, Projeto Pendulum

Concepção e Operação de Luz: Felipe Chepkassoff Ribeiro

Classificação

Livre

Fundo Linear Abstrato
colcha de retalhos 2.jpg

12 de novembro, sábado 18h
Obra Artística: Colcha de Retalhos
Grupo/Companhia: SAMBA B.Girls


Sinopse da obra artística

Viver plenamente, mas reconhecer os fragmentos que edificam essa plenitude. Identificar as diferenças, mas equipará-las vislumbrando um reflexo interno no outro. Memórias que se entrelaçam, fracionam, estilhaçam e constroem nossa grande Colcha de Retalhos. Em meio aos retalhos coloridos pelas raças, imagens, técnicas, cheiros e sabores; dançamos nossas raízes e quem assiste germina as sementes dos próximos retalhos. 

Sobre a SAMBA B.Girls

O projeto SAMBA (Somos A Mistura BrasileirA) surge em 2008, com B.Boys de diferentes crews e a criação do espetáculo 'Paradigma'. Em 2012 juntamente com transformações internas e com estudos do mestrado da Profª Cris nasce o SAMBA B.Girls. O Crew SAMBA B.Girls visa aprofundar os estudos e compartilhamentos de conhecimento na dança Breaking no corpo feminino.

Ficha Técnica

Direção Artistica: Ana Cristina Ribeiro

Interpretes-Criadoras: Ana Cristina Ribeiro, Juliana Borges, Marina Vieira Farias, Stefany Cristina, Giovana Sartori, Amanda Santos, Juliana Cruz.

Coreografia: Composição Compartilhada

Trilha: Junior Capoeira Arteira

Voz: Giovana Sartori

Imagens: Jurssa Santos

Luz: Felipe Chepkassoff

Classificação

Livre

parede
2022.07.12_solos de laje_sessão de fotos_pablo araripe (88).JPG

12 de novembro, sábado 20h
Obra Artística: Estudo sobre o CAOS’
Grupo/Companhia: Zumbboys


Sinopse da obra artística

Calma... Pausa... Respira. É uma guerra interna, uma desordem que precisa ser vivida. Surge a sevirologia marginal, um vazio, é o fim do Caos? Recomeço para reconstruir e continuar a caminhar. Território imprevisível, se vira, revira, de ponta cabeça sigo a me reinventar.

CAOS está no silêncio, na mudança repentina, no conflito, no arriscar... Arriscar um espaço seguro para viver um desejo, apontar o novo aprendendo a lidar com as sortes adversas dentro das escolhas diárias.

Sobre o Zumbboys

O grupo existe desde 2003. Com 19 anos de existência, o grupo Zumb.boys nascido na periferia de São Paulo acumula uma longa trajetória de pesquisa e produção em dança, tendo criado sua própria identidade utilizando a dança "Breaking" como base de pesquisa. Entende que a dança possibilita o encontro com outros centros de percepção, estabelece uma forma distinta de passear por contextos, valoriza o sensível e permite um fazer artístico, construindo e reinventando maneiras de viver e olhar para o lugar no qual podemos ser colaboradores e transformadores. Nessa jornada foram produzidos seis espetáculos com inúmeros prêmios.

Ficha Técnica

Idealização e direção – Márcio Greyk

Intérprete criador/Concepção – Igor Souza

Assistente de Direção – Guilherme Nobre

Provocador Cênico – Vinicios Silva 

Figurinos – Marisa Soou

Assistente de figurino e costuras – Pamela Rosa

Trilha Sonora – Tiago Penalva e Márcio Greyk

Participação especial – Uma Luiza

Técnico de Som – Gil Douglas

Técnico de Luz – Elves Ferreira

Registro Fotográfico – Pablo Araripe

Videomaker – Victor Godoi

Produtor – Júnior Cecon

Assistente de Produção – Márcia Ferreira

Designer Gráfico e Social Media – Lusca 

Assessoria de Imprensa – Luciana Gandelini

Classificação

Livre

Fundo Gradiente
2021.04.18_manofestação_unity warriors_pablo araripe (170) (1).jpg

13 de novembro, domingo 19h
Obra Artística: MANOfestAÇÃO
Grupo/Companhia: Unity Warriors


Sinopse da obra artística

O espetáculo MANOfestAÇÃO trás um manifesto através da dança breaking, que é base nas pesquisas do grupo Unity Warriors. Ações de se manifestar como as Block Parties, originais festas de rua da cultura hip-hop, que em meio ao descanso e o caos, os jovens encontraram a dança como refúgio e espaço de protesto. Um manifesto através de vivências do cotidiano de jovens periféricos, trazendo à tona aquilo que nos "aprisiona", buscando (re)apresentar artisticamente a desigualdade social, o racismo estrutural que molda o imaginário social e atravessa nosso fazer, enquanto cidadãos e artistas periféricos, que no meio de tantas adversidades, barreiras invisíveis e visíveis continuam (re)existindo.”

Sobre o Unity Worriors

Surgiu em 2015 com a união de jovens da periferia da zona leste e noroeste de São Paulo. É um grupo que tem as danças urbanas como ferramenta em suas pesquisas, e vem desenvolvendo um trabalho artístico, pedagógico e social com foco no desenvolvimento de ações nas periferias, lugar onde nasce e se faz presente no seu processo de criação, investigação e ensaios. A Unity Warriors tem como principal característica o processo de ensino/aprendizagens em projetos sociais na cidade de São Paulo, competições de breaking e espetáculos de dança, lugares esses que tem o hip-hop como mediador de ideias e de diálogo direto com a comunidade dos quais são pontos fundamentais para a criação de identidade do grupo.

Ficha Técnica

Direção Artística: Vinicios Silva

Direção Geral: Igor Souza 

Dançarinos/ Intérpretes criadores: Gabriel Oliveira, Gilson Cidinho,  Igor Souza, Leandro Cazão, Thiago Silva e Vinicios Silva. 

Trilha Sonora: Túlio Crepaldi 

Técnico de som: Elias Soares 

Iluminação: Rafael Oliveira

Produção: Junior Cecon e Igor Souza

Figurino: Unity Warriors 

Fotos: Pablo Araripe 

Captação e edição: Victor Godoi

Classificação

Livre

Fundo Linear Abstrato
WhatsApp Image 2022-08-27 at 11.41.31.jpeg

19 de novembro, sábado 18h
Obra Artística: B.XU
Grupo/Companhia: Grupo Funk-E


Sinopse da obra artística

Afinal, que bicho é você? Resistindo numa sociedade divergente, sujeitxs tentam exercer a sua diversidade. Somos bichos estranhos? Cada intérprete apresenta em seu corpo uma encruzilhada entre Bicho e Homem com seus instintos aguçados e prontos para defender seu território, sua história, sua luta e sua dança.

Sobre o Grupo Funk-E

Grupo desde 2017 se reformulou para ficar em produções de espetáculos artísticos e laboratórios de criação, através da linguagem das Danças da Urbanidade. Já participou por 4 anos do Programa de Qualificação em Artes/ Dança e premiado no ProAC com o espetáculo KNIMA.

Ficha Técnica

Direção Geral e Artística: Gi Sartori 

Interpretes-Criadores: Victor Sartori - Vitória Gomes - Jhany Grécia - Pedro Guilherme - Carla Ramos - Maicon Douglas 

Orientação Artística: Kleber Lourenço 

Classificação

12 anos

parede
48943745483_424c007f4c_c.jpg

19 de novembro, sábado 19h
Obra Artística: Ópera dos Três Réis
Grupo/Companhia: Cia Eclipse


Sinopse da obra artística

Livre adaptação da obra "A ópera dos três vinténs" (Berlim-1928), do notório dramaturgo alemão Bertolt Brecht, o espetáculo "Ópera dos três réis" da Cia Eclipse Cultura e Arte (Campinas-SP) apresenta uma reflexão crítica sobre a atualidade dos temas abordados por Brecht em nosso contexto brasileiro contemporâneo. Escancarando a honestidade humana em uma estruturação social falha, corrupta e desigual, o espetáculo apresenta uma relação inédita do teatro com as danças-urbanas em uma potente experimentação da relação da obra dramatúrgica com a própria vida dos bailarinos-atores na atualidade de nosso país desenhada em seus corpos. 

Sobre a Cia Eclipse

A Cia. Eclipse Cultura e Arte criada em 2002 na cidade de Campinas-SP, tem sido premiada nacional e internacionalmente. Hoje realiza pesquisas artísticas e culturais para criação de peças artísticas, espetáculos, performances, intervenções, cursos e livros. Por meio dos diferentes estilos de danças urbanas ligadas a Cultura Hip Hop - nossa especialidade - enriquecidos com técnicas de capoeira, dança-teatro, ginástica acrobática, entre outras linguagens que contribuem com o projeto proposto.

Ficha Técnica

Direção e Preparação Atores: Prof. M. Luciana Mizutani 
Direção Dança-Teatro: Prof. Dra. Ana Clara Amaral 
Assistente de Direção Atores: Lica Floridia 
Direção Artística Hip Hop: Prof Ricardo Cardoso (Kico) e Prof. M. Ana Cristina Ribeiro 

Preparação Vocal: Danray Anthony Stephens, Lica Floridia 

Desenho de Luz: Felipe Chepkassoff 

Interpretes-Criadores: Amanda Santos, Bruno Estevam, Bruno Jesus, Carolina Vicente, Giovanna Sartori, Hiago Ramos, Jhany Grécia, Juliana Borges, Klisman Rodrigues (7K Buck), Maicon Fidelis (MK Buck), Marcelo Balhe, Marina Vieira, Paloma Rodrigues, Renan Augusto, Stefany Cristina, Valdir Senhorinho, Wagner da Silva, William Santos (Negresco)

DJ e Beat Boxer: William Santos (Negresco)

Texto Cena Mac Navalha prisão: Maicon Fidelis (MK Buck)

Coreografia: Cia Eclipse Cultura e Arte – composição compartilhada

Imagens-Vídeo: Jurssa Santos 
Fotografia: Samuel Lorenzetti e Jurssa Santos 

Cenografia: Maicon Fidelis (MK Buck)

Classificação

Livre

Fundo Gradiente
promoFABRICA6.jpg

20 de novembro, domingo 18h
Obra Artística: Fabrica de bonecos
Grupo/Companhia: Magic Five


Sinopse da obra artística

Lançado em Novembro de 2014, o "Fabrica de bonecos" foi o primeiro espetáculo profissional produzido pelo grupo Magic Five. E a agora essa obra ganha sua versão atualizada e ONLINE, para que você possa assistir no conforto do seu lar. As coreografias e história foram criadas por Edgar Matheus e trazem uma narrativa de suspense. Os dançarinos Douglas Xavier, Edgar Matheus, Gilson Sales, Guilherme Camargo, Italo Gonzaga e Jonathan Santos, interpretam a história de um habilidoso  artesão e manipulador de bonecos que se vê envolvido, junto à suas criações, em um tenebroso mistério.

Sobre o Magic Five

O grupo teve início em 2007 e foi fundado na Zona Sul de São Paulo, por Edgar Matheus e Leandro Soares, que estudavam juntos. Começaram participando de festivais escolares e em eventos culturais da região. No começo de 2008, houve uma grande identificacão com o trabalho do grupo Jabbawockeez e assim o grupo Magic Five passou a apresentar trabalhos como covers deste grupo, utilizando os mesmos remixes, coreografias e estilo de roupa. Em 2009 o grupo reconhece o seu potencial e começam a desenvolver apresentações com sua personalidade, estruturando pesquisas dentro das danças urbanas, além de aprimoramento técnico e pesquisa musical

Ficha Técnica
Direção e Coreografia: Edgar Matheus
Dançarinos: Edgar Matheus, Guilherme Camargo, Douglas Xavier, Italo Gonzaga, Jhonatan Santos, Gilson Sales

Maquiadora: Flávia Souza 

Produção de cenário: Douglas Xavier

Espaço da gravação Escola de dança Dept Cult.

Classificação

Livre

Fundo Linear Abstrato
Cópia de m-274.jpg

20 de novembro, domingo 19h
Obra Artística: Espelhos Delas
Grupo/Companhia: Gurias


Sinopse da obra artística

A partir de uma Dança-conferência, o Grupo Gurias fala sobre questões presentes na pesquisa, na obra e na história de mulheres que guiaram as lutas pelos direitos das mulheres ao longo das décadas no Brasil e no mundo. Essas histórias se misturam com as histórias de tantas de nós, que resistem com força e inteligência nos dias de hoje. Elas abriram o caminho para nós, que abrimos o caminho para as próximas, somos espelhos delas, e elas serão nossos espelhos. “Espelho delas”, teve sua criação e
desenvolvimento, dentro do “Fomento à Dança da Cidade de São Paulo”.

Sobre o Grupo Gurias

“Gurias” é um coletivo feminino atuante nas Danças Urbanas e Cultura Hip Hop, sendo referência feminina nesse contexto. Tem sede na cidade de São Paulo – SP e foi formado em 2012, por integrantes de outros grupos já existentes. O intuito do coletivo é principalmente, auxiliar no processo de reconhecimento, auto aceitação e empoderamento das mulheres, e incentivá-las a se dedicarem à prática e estudo das Danças Urbanas e/ou outras vertentes da Cultura Hip Hop, a fim de diminuir o espaço de diferença entre homens e mulheres, tanto na qualidade técnica, quanto na quantidade de praticantes, acreditando cada vez mais em seu potencial e se fortalecendo enquanto mulheres artistas. O grupo foi contemplado pelo edital de Fomento à Dança da Cidade de São Paulo em 2020, pelo qual realizou o projeto “Espelhos Delas” que resultou em um espetáculo de mesmo nome, e também pelo edital PROAC Expresso LAB com o projeto “Visita às Mulheres das Danças Urbanas”, onde o coletivo realizou uma nova leitura do primeiro espetáculo do grupo chamado “A Mulher na Dança Urbana”. Além disso as Gurias já circularam por diversos SESCs na capital paulista e interior, e participou do Circuito Cultural Paulista da APAA, sem contar a participação em diversos eventos de dança e de Hip Hop, e a organização da “Gurias Battle” que está em sua 3a edição pelo Mês do Hip Hop.

Ficha Técnica

Direção: Nati Glitz

Coreografia: Grupo Gurias

Elenco: Ana Souto | Andresa Plana | Aline Constantino | Carolina Gomes | Darlita Albino | Lika Marques | Elix Rodrigues |Maryana Cavalcanti | Nati Glitz | Sasá Xavier | Steh Alves

Dramaturgia: Eliane Weinfurter

Preparadoras: Ana Clara Marques | Juju Ramos | Tati Sanchis

Trilha Sonora Direção: Dj Lika Marques

Composições: Andresa Plana | Elix Rodrigues | Lika Marques | Maryana Cavalcanti

Figurino: Maiwsi Ayana

Iluminação: Aline Santini (Desenho), Be Camelo (Operação)

Técnica de Som: Allyne Cassini

Captação E Edição De Vídeo: Deisy Araujo

Participação Especial: Nadir Albino

Texto Nadir Albino: Eu-Mulher | Poema De Conceição Evaristo

Fotografia: Camila Sugai, Emilly Reis

Produção: Lívia Gomes Moreira, Luna Ákira (Assistente)

Classificação

Livre

parede
51876448379_e328f44fb0_c.jpg

26 de novembro, sábado 18h
Obra Artística: Afrokosmos
Grupo/Companhia: Cia Eclipse


Sinopse da obra artística

“Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, apresenta AFROKOSMOS”

“Este projeto foi contemplado pela Fundação Nacional de Artes – FUNARTE por meio do Edital Bolsa Funarte e Aliança Francesa de Residências Artísticas em Artes Cênicas - Brasil / França – 2021”

São muitos tambores que ultrapassam a relação tempo-espaço, que abrem portais e permitem as conexões. Muitos corpos polirrítmicos e policêntricos com nossas assimetrias dançantes, vitalidade e improvisação, somos Afro! Os Kosmos dos interpretes-criadores, organizados e harmoniosos, compõem esta obra artística que apresenta inquietações, força e poder, extrapolando o atlântico negro e conectando as africanidades Brasil-França através de uma tela e por meio de seus corpos que se movimentam em tempo presente, ancestral e futuro. Futurista em essência e ancestral nas relações, este é o nosso AFROKOSMO.

Sobre a Cia Eclipse

A Cia. Eclipse Cultura e Arte criada em 2002 na cidade de Campinas-SP, tem sido premiada nacional e internacionalmente. Hoje realiza pesquisas artísticas e culturais para criação de peças artísticas, espetáculos, performances, intervenções, cursos e livros. Por meio dos diferentes estilos de danças urbanas ligadas a Cultura Hip Hop - nossa especialidade - enriquecidos com técnicas de capoeira, dança-teatro, ginástica acrobática, entre outras linguagens que contribuem com o projeto proposto.

Ficha Técnica

Direção Artística: Prof Jose Ricardo Cardoso (KicoBrown)

Co-direção e Ensaiadora: Prof Marina Vieira

Roteiro: Profa Dra Ana Cristina Ribeiro Silva, Prof Jose Ricardo Cardoso (KicoBrown), Jurssa Santos

Coreografia: Cia Eclipse Cultura e Arte – composição compartilhada

Intérpretes-Criadores Presencial : Bruno Estevam (Drew), Profa Daniele Alfonso Ramirez (Pirce), Hiago Ramos, Prof Klisman dos Santos Rodrigues (7KBuck), Wagner da Silva, Willian Santos (Negrexco)                

Intérpretes-Criadores Projeção: Stefany Cristina - Noruega, Jacksan Manzamussa - Noruega, Edwin Saco (JamsyNoizz) – França

Preparação Corporal: Prof Renan Augusto

Figurino: Evandro Casarin

Videomaker – projeções: Jurssa Santos

3D designer: Alexandre Szolnoky

Desenho de Luz: Maristela Motta

Mapeamento-Técnica Projeção: Vic Von Poser

Trilha - produção/seleção: Willian Santos (Negrexco), Prof Jose Ricardo Cardoso (KicoBrown)

Apoio: MC2: Grenoble - Maison De La Culture Grenoble, França

Fazenda Roseira | Instituto Vivarte | Prefeitura Municipal de Campinas | SESC Campinas

Classificação

Livre